Vale Saúde - Logomarca

Desmaio

Sintoma pode estar relacionado a doenças cardiovasculares, hipoglicemia e outras enfermidades

O que é desmaio?

O desmaio, também chamado de síncope, é um sintoma caracterizado pela perda total de consciência. A pessoa não consegue ficar em pé e é levada à queda.

Acontece quando há uma diminuição do fluxo sanguíneo no cérebro e costuma durar poucos segundos. No geral, o indivíduo se recupera rapidamente, mas pode se sentir fraco por algumas horas.

Trata-se de uma manifestação comum, que afeta pessoas de todas as idades. Existem várias causas para o desmaio, como queda brusca da pressão arterial e alguns distúrbios metabólicos, como a hipoglicemia.

Na maioria das vezes, desmaiar não é motivo de preocupação e não requer nenhum tipo de tratamento específico. No entanto, se os episódios forem frequentes, é necessário consultar um médico para fazer um check-up e ter um diagnóstico.

Quais são os tipos de desmaios?

É possível classificar um episódio de desmaio da seguinte forma:

Síncope vasovagal

É considerado pouco grave e pode ser causado por falta de hidratação e exposição ao calor ou a lugares apertados e abafados.

Geralmente, o paciente não apresenta doenças cardiovasculares e manifesta sintomas antes de perder a consciência (como náuseas, tontura e vertigem). Em algumas situações, após desmaiar, a pessoa vomita.

Síncope cardíaca

É causado por uma doença cardiovascular. Precisa de atenção, porque, nesses casos, o paciente muitas vezes tem histórico de morte súbita na família.

Antes de desmaiar, a pessoa sente palpitações e dor no tórax. Pode ocorrer durante a prática de atividades físicas.

Síncope por hipotensão ortostática

Acontece quando há uma queda brusca na pressão arterial (hipotensão). É comum em casos em que a pessoa se levanta muito rápido, ou pelo uso de medicamentos que abaixam a pressão.

Pacientes com Alzheimer ou Parkinson podem sofrer com essa condição.

Síncope cerebrovascular

Está relacionado a exercícios braçais. Para identificar esse tipo de desmaio, é recomendado checar o pulso do paciente, pois os batimentos cardíacos e a pressão arterial costumam ficar diferentes nos dois braços.

Quais são os sintomas que antecedem o desmaio?

Antes de desmaiar, algumas pessoas podem sentir:

  • Sudorese e sensação de calor
  • Náuseas e enjoos
  • Visão turva
  • Tontura
  • Vertigem
  • Formigamento nos lábios e nas pontas dos dedos
  • Coração acelerado
  • Dor na região torácica

Durante o desmaio, o paciente demonstra:

  • Falta de movimentos
  • Pulso fraco
  • Respiração lenta e superficial
  • Pernas e braços frios
  • Palidez

Algumas pessoas que desmaiam apresentam contração involuntária dos músculos de forma breve, semelhante a uma convulsão. Entretanto, convulsões não são consideradas desmaios, assim como outras condições que causam perda de consciência, como ataque cardíaco, também não são.

Depois do desmaio, é normal que o indivíduo continue se sentindo fraco por algumas horas.

Quais são as causas do desmaio?

Desmaios podem ser causados por vários motivos, sendo que os mais comuns incluem:

  • Queda de pressão ao se levantar ou mudar de postura muito rápido
  • Ansiedade, ataques de pânico, nervosismo e estresse
  • Cansaço extremo
  • Ficar muito tempo sem comer
  • Fortes emoções, como medo e dor
  • Longa exposição ao sol e calor excessivo
  • Enxaqueca
  • Sensação de pânico ao estar em locais muito apertados ou lotados
  • Distúrbios metabólicos, como hipoglicemia, desidratação, anemia e diabetes
  • Uso de alguns medicamentos que abaixam a pressão arterial
  • Doenças cardiovasculares que atrapalham o fluxo sanguíneo, como a arritmia cardíaca
  • Gravidez, devido às alterações hormonais

Quando consultar um médico?

No geral, episódios de desmaio isolados não são motivos para preocupação. A maior parte das causas de desmaio são inofensivas e não apresentam complicações.

Mas é preciso ter atenção se:

  • O desmaio ocorrer durante atividades físicas
  • Acontecerem vários desmaios em um curto período
  • Os episódios forem repentinos e sem um motivo claro
  • O paciente for idoso
  • Após o desmaio, a pessoa pode sentir falta de ar, palpitações ou dor toráxica
  • Histórico familiar de desmaios repentinos ou morte súbita

Além disso, ao perder a consciência, o paciente pode cair bruscamente e sofrer fraturas ou traumatismo craniano. Por isso, caso note alguma lesão após um desmaio, é essencial buscar atendimento em uma emergência médica, principalmente se tiver batido a cabeça.

Quais são os fatores de risco para desmaio?

Qualquer pessoa, de qualquer idade, pode desmaiar. Porém, algumas condições aumentam as chances de síncope, como:

  • Diabetes
  • Pressão alta
  • Obesidade
  • Elevação de gordura no sangue (dislipidemia)
  • Sedentarismo
  • Tabagismo
  • Uso excessivo de álcool e drogas ilícitas
  • Uso descontrolado de medicamentos sem orientação médica
  • Distúrbios do sono, como apneia

Como é feito o diagnóstico para identificar a causa de um desmaio?

O indicado, inicialmente, é marcar uma consulta com um clínico geral. O especialista fará uma avaliação do histórico do paciente, além de um exame físico para averiguar se não houve qualquer tipo de lesão resultante do desmaio.

É habitual que o médico pergunte o que a pessoa estava fazendo antes de passar mal, pois discussões, medo, dor e prática de exercícios físicos são capazes de causar desmaios. Ele também pode questionar sobre hábitos alimentares, se o indivíduo costuma tomar a quantidade de água adequada e se ficou exposto ao sol por muito tempo, por exemplo.

Se houver testemunhas, provavelmente o profissional irá pedir para que elas digam como o desmaio ocorreu. Isso porque uma perda de consciência repentina é capaz de indicar doenças cardiovasculares, enquanto o desmaio antecedido por sintomas como náuseas e alterações de visão não costuma ser perigoso.

É possível que o clínico geral prescreva uma bateria de exames para investigar o que está acontecendo, sobretudo se o paciente tiver desmaios frequentes ou inesperados.

Se os resultados apontarem alguma alteração, outros especialistas, como neurologistas e cardiologistas, serão envolvidos para diagnosticar o problema.

Qual o melhor tratamento?

O tratamento para desmaio depende do que está causando o sintoma. Por isso, é importante consultar um médico para receber a orientação correta.

Mas existem alguns cuidados que devem ser tomados se você sentir que for desmaiar:

  • Caso sinta fraqueza, sente ou deite para evitar quedas
  • Ao sentar-se, coloque a cabeça entre os joelhos e espere os sintomas passarem. Quando for se levantar, faça lentamente e busque apoio na parede ou em algum móvel próximo

Se alguém perto de você desmaiar, siga essas instruções:

  • Deite a pessoa de costas
  • Levante as pernas dela acima do nível do coração (entre 30 e 40cm do chão)
  • Chame pelo nome dela
  • Solte roupas apertadas, cinto, colares e outros acessórios
  • Se a pessoa não acordar em cerca de 1 minuto, ligue para a emergência
  • Caso haja ferimentos, tente controlar possíveis sangramentos. Se a pessoa bateu a cabeça na queda, tente não tocá-la, nem movê-la de lugar. Chame a ambulância o mais rápido possível

Como prevenir o desmaio?

Algumas precauções podem ser tomadas para evitar desmaios. São elas:

  • Hidratar-se
  • Não ficar muito tempo sem comer (procure alimentar-se de 3 em 3 horas ou de acordo com a orientação de um nutricionista)
  • Não ficar exposto ao sol e ao calor por muito tempo
  • Sempre se levantar devagar de cadeiras, sofás ou camas
  • Evitar permanecer em locais muito abafados ou apertados
  • Procurar identificar possíveis gatilhos para a perda de consciência, como exercícios físicos e atividades que podem causar estresse (fazer uma tatuagem, coletar sangue, entre outros)
Assine e agende uma consulta

Escolha uma assinatura ideal para você e agende sua consulta agora:

Especialistas mais indicados para o tratamento

Clínico Geral

Leia mais no nosso blog Saúde V