Vale Saúde - Logomarca

Taquicardia

Distúrbio do ritmo cardíaco ocorre quando os batimentos do coração estão acelerados

O que é a taquicardia?

A taquicardia é um distúrbio do ritmo cardíaco (arritmia), quando o coração bate muito rápido, o que faz com que não exista bombeamento de sangue rico em oxigênio em quantidade satisfatória para o resto do corpo, causando sintomas como falta de ar, tontura, sensação de palpitação (batimentos acelerados) e cansaço.

O ritmo das batidas de um coração normal descansado é de 60 a 100 por minuto. Ele pode bater de forma mais acelerada durante um exercício físico mais intenso. Mas, conforme a pessoa descansa e relaxa, seus batimentos cardíacos tendem a voltar progressivamente ao normal. Porém, quando ela estiver em repouso, e os batimentos não baixarem de 100, é diagnosticada a taquicardia.

Além da atividade física, há outras situações do dia a dia que podem estimular o aceleramento do ritmo cardíaco, como a ingestão de estimulantes (cafeína ou guaraná), susto, medos ou estresse. No entanto, a taquicardia pode acontecer também como consequência de infecção, anemia, alterações na tireoide, coração ou pulmão.

Caso as palpitações (batimentos muito rápidos e perceptíveis) sejam frequentes e venham acompanhadas de outros sinais como dor no peito, compressão, dificuldade para respirar ou desmaio, é importante consultar o cardiologista.

Como um mal-estar de taquicardia faz parte de um quadro de angina e esta pode levar a um infarto, quando esses sintomas associados estiverem muito fortes, o paciente deve procurar atendimento de emergência para realizar um exame de eletrocardiograma e tirar dúvidas sobre seu estado de saúde geral. Quando o assunto é coração, a precaução não é exagero.

Quais são os tipos de taquicardia?

A taquicardia pode ser classificada em alguns tipos, sendo os principais:

  • Taquicardia sinusal: é a que se origina no nó sinusal, que são células específicas do coração, responsáveis por gerarem o estímulo elétrico do coração
  • Taquicardia ventricular: é a que se origina no ventrículo, que é a parte de baixo do coração
  • Taquicardia atrial: é a que se origina no átrio, que se localiza na parte de cima do coração

Apesar de existirem várias causas de taquicardia, todas provocam sintomas semelhantes. Por isso, é necessário realizar os exames indicados pelo cardiologista para identificar o tipo de taquicardia e, assim, iniciar o tratamento mais adequado para aquela origem da arritmia.

Quais são os sintomas da taquicardia?

Entre os sinais mais comuns, destacam-se:

  • Sensação de batimentos cardíacos acelerados mesmo em repouso
  • Palpitação cardíaca (sensação de que o coração está pulando batidas)
  • Desconforto torácico (aperto ou dor no peito)
  • Falta de ar
  • Cansaço
  • Tontura
  • Vertigem
  • Sensação de desmaio

Sempre que existir suspeita de um problema no coração, é importante consultar rapidamente um cardiologista ou ir ao hospital para fazer exames de diagnóstico como o eletrocardiograma, para confirmar se há alguma condição que precise de tratamento.

Quais são as causas e fatores de risco da taquicardia?

A taquicardia pode ser uma resposta normal do organismo a situações como:

  • Dor intensa
  • Estresse ou ansiedade
  • Ataques de pânico ou fobias
  • Exercício físico intenso
  • Emoções fortes, como susto, sensação de felicidade ou medo intenso
  • Efeito secundário de alimentos ou bebidas, como chá, café, álcool ou chocolate
  • Consumo de bebidas energéticas
  • Uso de tabaco

Apesar de ser frequentemente associada a situações normais do dia a dia, a taquicardia pode também ser sinal de doenças, podendo acontecer devido a:

  • Hipertireoidismo
  • Pneumonia
  • Insuficiência cardíaca
  • Tromboembolismo pulmonar
  • Aterosclerose
  • Doenças inflamatórias ou degenerativas do coração
  • Doença pulmonar crônica
  • Ataque cardíaco

Como é o diagnóstico?

Quando houver sintomas como os citados acima ou suspeita de qualquer alteração cardíaca, deve-se procurar um cardiologista ou clínico geral, que vai avaliar os sintomas apresentados pelo paciente e analisar a necessidade de solicitar testes para estabelecer o diagnóstico.

Pode ser indicada a realização do eletrocardiograma, para avaliar o ritmo cardíaco, e o exame Holter de 24h, que verifica o ritmo do coração ao longo de um dia inteiro.

O ecocardiograma pode ajudar na avaliação da estrutura e função do coração, que podem estar relacionados com a causa da alteração do batimento cardíaco. A ressonância pode ser também indicada em alguns casos para analisar as áreas de fibrose, assim como o estudo eletrofisiológico para mapear as áreas de arritmia.

Palpitações acompanhadas de compressão ou aperto no peito ou de perda de consciência são graves. Procure socorro imediatamente.

Como é o tratamento da taquicardia?

O tratamento para taquicardia **depende de seu tipo (local do coração em que ela é originada) **. Assim que os exames identificarem onde está o problema, ele pode ser tratado com o uso de medicamentos ou cirurgia, nos casos mais graves.

Existem vários remédios que podem ser usados para tratar a taquicardia, ajudando a regular e a desacelerar o ritmo do coração. Alguns pacientes com taquicardia precisam fazer o uso de marcapasso, além de exames constantes que avaliam o ritmo do coração, como o teste ergométrico e o Holter 24 horas.

Caso a taquicardia seja ligada ao consumo de alguma substância, é preciso realizar o uso controlado delas, evitando os excessos. Se não for possível descobrir se a taquicardia está associada a uma condição, como o transtorno de ansiedade, ou a tireoide, é preciso fazer acompanhamento com um médico cardiologista, que vai indicar o melhor tipo de tratamento para a taquicardia.

São orientados ainda o controle da pressão arterial, colesterol, triglicérides e glicemia, alimentação baixa em sal, gordura e açúcar e praticar atividade física regularmente.

Como é a prevenção da doença?

Certos cuidados são de importância fundamental para controlar a taquicardia e outras arritmias:

  • Pare de fumar: o fumo sobrecarrega o coração obrigando-o a trabalhar com mais vigor
  • Exercite-se regularmente
  • Administre sua carga de estresse: incorpore à sua rotina atividades prazerosas e hobbies
  • Controle a pressão arterial: ingerindo pouco sal e mais potássio (bananas e batatas são ricas neste mineral) e cálcio (encontrado nos laticínios de baixo teor de gordura, como iogurte e leite desnatado
  • Modere a ingestão de álcool
  • Se notar batimento cardíaco irregular, rápido, ou batimento extra e não houver histórias de doenças do coração em sua família, o problema pode estar relacionado ao consumo de cafeína, fumo, estresse emocional e/ou uso de certos medicamentos. Corte o café, certos tipos de chá, colas e outras bebidas que contenham cafeína
  • Procure um médico, pois existem diversos medicamentos indicados para tratar arritmias. Certos casos exigem a implantação cirúrgica de um marcapasso no peito do paciente para regular os batimentos cardíacos
  • Se você é nervoso, sente calor demais, tem tremores nas mãos e transpira muito, sua taquicardia pode estar associada à hiperatividade da tireoide. Vá ao médico que lhe indicará o tratamento adequado
Assine e agende uma consulta

Escolha uma assinatura ideal para você e agende sua consulta agora:

Especialistas mais indicados para o tratamento

Clínico Geral

Leia mais no nosso blog Saúde V