Vale Saúde - Logomarca

Saúde V


Saúde e Bem-estar

Alimentação

Dicas e Curiosidades

Exames

Saúde Mental

Top10 Saúde

Exames

Dor crônica: entenda como diagnosticar a fibromialgia

10 de

agosto

de 2023

qual exame detecta a fibromialgia
assinatura vale saúde

Não há um exame específico para detectar a doença reumatológica, que é uma síndrome dolorosa crônica

Como descobrir se uma pessoa está com fibromialgia?

Quase todos nós já sentimos uma dor forte de cabeça ou dor nas costas alguma vez durante a vida. No entanto, quem tem fibromialgia sofre com uma série de dores, intensas e generalizadas, também nas pernas, nos ombros e em outras partes do corpo, ao mesmo tempo, por mais de três meses.

O quadro dessa síndrome dolorosa, geralmente, vem junto com fadiga crônica e distúrbios do sono. Em função dessas características, a condição é definida como uma doença reumatológica, sem causa orgânica, inflamatória ou mecânica.

A fibromialgia afeta cerca de 6% da população adulta. Como as dores parecem se espalhar pelo corpo e os sintomas são variados, o paciente costuma ficar apavorado e tem dificuldades de relatar ao médico o que sente, procurando ajuda em diversas especialidades, sem ter solução para seu problema.

O diagnóstico costuma ser demorado, pois não há um exame específico para esta doença crônica que não tem cura. Porém, com um tratamento multidisciplinar, é possível aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida.

O uso de medicação (analgésicos, anti-inflamatórios e antidepressivos) deve ser aliado a exercícios físicos, massagens, acupuntura e Pilates, entre outras terapias alternativas. A prática de atividades físicas é a única maneira de aumentar a serotonina naturalmente. Porém, é preciso iniciar o tratamento com remédios para controlar a dor e dar condições para que o paciente consiga começar a se exercitar.
A seguir, vamos explicar melhor as curiosidades sobre a doença. Fique atento se sofrer com esses sintomas, porque quanto melhor detalhado for seu histórico para o médico, mais informações ele vai ter para fechar um diagnóstico correto brevemente.

Assine o App da Vale Saúde: Plano Individual por R$ 14,90/mês

Quais são os sintomas da fibromialgia?

Os sintomas de fibromialgia são:

  • Dor intensa e difusa, no corpo todo
  • Cansaço excessivo
  • Maior sensibilidade em alguns pontos do corpo
  • Rigidez muscular
  • Dor de cabeça recorrente
  • Dificuldade para dormir, insônia e outros distúrbios do sono
  • Problemas de memória e concentração
  • Formigamento nas mãos e/ou pés
  • Dor na mandíbula
  • Problemas digestivos, especialmente Síndrome do Intestino Irritável
  • Falta de disposição e energia
  • Aparecimento de uma “névoa mental” (dificuldade de pensamento, o que leva a um risco maior de desenvolver depressão, ansiedade ou outros transtornos psicológicos)

Qual exame de sangue detecta fibromialgia?

O diagnóstico da fibromialgia é apenas clínico (avaliação das queixas e histórico do paciente), pois não existe nenhum exame capaz de detectar a doença reumatológica.

Porém, é normal que o médico solicite testes laboratoriais de sangue para descartar outras condições que causam sintomas semelhantes e, então, diagnostique a síndrome dolorosa sem dúvidas.

Assine o App da Vale Saúde: Plano Familiar por R$ 21,90/mês

Como é feito o diagnóstico da fibromialgia?

Para confirmar a existência da doença, é importante consultar um reumatologista, que fará o diagnóstico da síndrome por meio do exame físico e da avaliação dos sintomas relatados pelo paciente.

O principal indício da condição é a dor crônica generalizada, que atinge as partes acima e abaixo da cintura, os lados direito e esquerdo do corpo e pelo menos uma parte da coluna. Na maioria dos casos, a fibromialgia se instala de forma progressiva, e o paciente vai percebendo os sintomas aos poucos. Geralmente, a pessoa não consegue apontar pontos específicos de dor, e a queixa mais comum no consultório médico é de que “tudo dói”.
Como não existem exames específicos, todo o histórico do paciente deve ser considerado, e o médico também precisa identificar se existem condições atenuantes, como uma tendinite ou outra doença reumática, por exemplo.

Até pouco tempo, o diagnóstico era feito com base em um teste de 18 pontos na musculatura. Para ser diagnosticado, o paciente tinha que apresentar dor em pelo menos 11 desses 18 pontos. Hoje, leva-se mais em conta a dor crônica em si do que o número de pontos com dor, além dos outros sintomas.

Qual é a parte do corpo que a fibromialgia ataca mais?

A fibromialgia é conhecida por provocar aumento da sensibilidade em alguns “pontos-gatilho” do corpo, como:

  • Parte superior dos ombros
  • Região da nuca e pescoço
  • Coluna
  • Laterais do quadril
  • Joelhos
  • Cotovelos

Antigamente, esses pontos eram muito utilizados como forma de diagnosticar a síndrome, sendo que o médico realizava pressão sobre eles para identificar se o paciente apresentava mais dor que o esperado.

A doença pode atingir pacientes de qualquer sexo e idade, mas é mais comum em mulheres entre os 30 e 50 anos de idade.

Como é o tratamento para amenizar as crises?

Além de medicamentos para alívio da dor (que atuam estimulando os inibidores de dor no sistema nervoso central) e das atividades físicas regulares, o tratamento ainda envolve medidas para melhorar o sono e gestão do estresse.  Para tal, pode ser indicada a psicoterapia, já que a doença pode causar um grande impacto na qualidade de vida e também problemas emocionais.

É importante manter um acompanhamento clínico com especialista, inclusive se for optar por terapias complementares como acupuntura, RPG, osteopatia e fisioterapia. E nunca esqueça: jamais se automedique, nem suspenda o uso de algum remédio sem orientação profissional.

Quais podem ser as causas da fibromialgia?

Ainda não há certezas sobre a causa específica que leva ao aparecimento da fibromialgia. Porém, já se sabe que paciente que sofre com a síndrome possui maior sensibilidade à dor, o que pode estar relacionado ao sistema nervoso central. Desta forma, nervos, medula e cérebro fazem com que qualquer estímulo doloroso tenha sua intensidade aumentada.

Também existem alguns fatores que parecem aumentar o risco de desenvolver a doença:

  • Histórico familiar de fibromialgia
  • Ter lúpus ou artrite reumatoide
  • Viver situações muito estressantes
  • Ter tido alguma infecção viral
  • Sofrer pancadas repetidas em alguma parte do corpo
  • Além de trauma físico, traumas emocionais também podem desencadear a condição
  • Distúrbios do sono, sedentarismo, ansiedade, depressão e outros transtornos mentais ainda podem ser gatilhos para a síndrome

Assine o App da Vale Saúde: Pronto Atendimento Online 24h por R$ 49,90

Encontre a ajuda necessária na Vale Saúde

Ao assinar a Vale Saúde, você tem acesso a mais de 60 especialidades, incluindo reumatologia.

Além disso, também é possível coletar exames, como os testes de urina e sangue, sem filas e de uma maneira muito mais prática, e agendar exames de imagem solicitados pelos especialistas.

Saiba mais sobre as assinaturas e comece a tratar de si mesmo!

Fibromialgia



vale saúde sempre assinatura post

Escrito por Vale Saúde

A Vale Saúde é uma marca Vivo e oferece serviço de assinaturas com descontos e preços acessíveis para você cuidar melhor da sua saúde.

Posts Relacionados

check-up médico

Você sabe o que é um check-up médico?

Quer saber como se cuidar? Faça o seu check-up regularmente e veja os benefícios

consulta telemedicina

Quando posso fazer uma consulta por telemedicina?

Saiba quais são as especialidades que atendem em consultas online

Sono excessivo: quando o cansaço diurno pode indicar um problema mais grave?

Sono excessivo: cansaço diurno pode ser um problema?

Manter hábitos saudáveis na sua rotina é essencial para evitar o cansaço diurno

Receba novidades em seu email

Inscreva-se na nossa newsletter

Ao se inscrever, você concorda com os termos de uso, a política de privacidade e em ser contatado por SMS, e-mail e telefone.