Vale Saúde - Logomarca

Pneumonia

Infecção nos pulmões pode ter origem bacteriana, viral ou fúngica: gripe e outros vírus como a Covid-19 são causas comuns do problema

Consulta presencial com pneumologista

A PARTIR DE

R$ 60*

Consulta online com pneumologista

A PARTIR DE

R$ 90*

Desconto em medicamentos

ATÉ

35%

O que é pneumonia?

A pneumonia é uma infecção nos pulmões causada por vírus, bactérias ou fungos. Ela faz com que o tecido pulmonar inche, e a inflamação pode causar líquido ou pus nos pulmões. É uma condição cuja gravidade pode variar de leve até oferecer risco de morte.

Em geral, a pneumonia bacteriana é mais grave do que a pneumonia viral, que costuma se resolver sozinha. O problema pode afetar um ou ambos os pulmões. Quando ocorre em ambos os pulmões, é chamada de pneumonia bilateral ou dupla.

É mais grave para crianças pequenas, bebês, quem tem mais de 65 anos, sistema imunológico mais fraco ou problemas de saúde.

Quais são os sintomas da pneumonia?

Os sinais da doença variam entre leve e grave, a depender de fatores como o tipo de microrganismo que provoca a infecção, a saúde geral e a idade da pessoa. Em geral, sintomas leves se assemelham aos de uma gripe ou resfriado, mas são mais duradouros.

Os sintomas de pneumonia podem incluir:

  • Fadiga
  • Falta de ar
  • Dor no peito ao tossir ou respirar
  • Febre, calafrios e sudorese
  • Tosse, que pode ter catarro
  • Alterações na consciência mental ou confusão (em idosos)
  • Temperatura do corpo abaixo do normal (em idosos e pessoas com sistema imunológico enfraquecido)
  • Vômitos, náuseas ou diarreia

Quais os sintomas de pneumonia infantil?

Bebês e recém-nascidos podem não demonstrar nenhum sinal da infecção. Ou podem ter tosse e febre, vomitar, parecer cansados e sem energia ou inquietos. Também podem apresentar dificuldade em comer e de respirar.

O que causa a pneumonia?

Diversos microrganismos provocam pneumonia. Vírus e bactérias no ar são os mais comuns. Em geral, o corpo impede que esses germes infectem os pulmões. Mas, às vezes, eles podem dominar o sistema imunológico, mesmo que a saúde seja boa.

A pneumonia é contagiosa? Na maioria das vezes, não. A pneumonia é transmissível, mas não tem um alto grau de contágio.

Quais são os tipos de pneumonia?

Os tipos de pneumonia são classificados de acordo com o local em que a pessoa contraiu a infecção e os microrganismos que a provocam.

Pneumonia adquirida na comunidade

O tipo mais comum é a pneumonia adquirida na comunidade. Ela ocorre fora de hospitais e pode ser causada por:

  • Bactérias: a pneumonia bacteriana mais comum é a causada pelo Streptococcus pneumoniae. Ela pode ocorrer após uma gripe, resfriado ou por conta própria.
  • Germes semelhantes a bactérias: a doença também pode ser causada pela Mycoplasma pneumoniae. Chamada de pneumonia atípica, em geral essa variação produz sintomas diferentes do que outros tipos de pneumonia.
  • Vírus, incluindo Covid-19: a pneumonia pode ser provocada por alguns dos vírus que causam gripes e resfriados. Eles são a causa mais comum do problema em crianças com menos de 5 anos. Em geral, a pneumonia causada por vírus é um pouco mais leve do que a bacteriana. Em alguns casos, porém, ela pode se tornar muito grave. O vírus da Covid pode causá-la e, às vezes, essa pneumonia é grave.
  • Fungos: a pneumonia fúngica é mais comum em pessoas com sistema imunológico enfraquecido, problemas crônicos de saúde ou que inalaram grandes doses dos microrganismos. Os fungos que a provocam podem ser encontrados em excrementos de pássaros ou no solo. Eles variam dependendo da localização geográfica.

Pneumonia adquirida no hospital

A pneumonia também pode ser contraída durante uma internação hospitalar por quem recebe atendimento contínuo/frequente em ambulatórios, incluindo centros de diálise renal, ou vive em instituições de cuidados prolongados por outra doença. Esse tipo pode ser grave porque a pessoa que a contrai já está doente ou a bactéria que a provoca pode ser mais resistente a antibióticos.

Quem usa máquinas de respiração (ventiladores), frequentemente utilizadas em unidades de terapia intensiva (UTIs), corre maior risco de contrair esse tipo de infecção.

Pneumonia por aspiração

A pneumonia aspirativa acontece se a pessoa inalar bebida, comida, saliva ou conteúdo do estômago (através de vômito ou refluxo) nos pulmões. É mais provável que haja aspiração se algo interferir no reflexo normal de vômito, doenças que produzem problemas para engolir, uma lesão cerebral ou uso de álcool ou drogas em excesso.

Quais são os fatores de risco?

Embora a pneumonia possa afetar qualquer um, há duas faixas etárias de maior risco:

  • Crianças com 2 anos ou menos
  • Idosos com 65 anos ou mais

Existem outros fatores de risco:

  • Doença crônica: há mais probabilidade de que a pessoa contraia a condição se tiver doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), asma ou doença cardíaca
  • Internação hospitalar: há mais risco de ter o problema se a pessoa estiver numa UTI hospitalar, sobretudo se utilizar uma máquina que a ajuda a respirar
  • Tabagismo: fumar prejudica as defesas naturais do organismo contra os vírus e as bactérias que provocam pneumonia
  • Sistema imunológico suprimido ou enfraquecido: o risco é maior para quem têm HIV, pacientes que fizeram transplantes, recebem quimioterapia ou esteroides de longo prazo

A pneumonia tem cura? Como tratar a doença?

O tratamento para o problema envolve a prevenção de complicações e a cura da infecção. Em geral, pessoas com a condição adquirida na comunidade podem ser tratadas com remédios em casa.

A maior parte dos sintomas costuma diminuir em dias ou semanas, mas o cansaço pode persistir por um mês ou até mais.

Alguns tratamentos dependem da gravidade e do tipo da doença, da saúde geral e da idade da pessoa. As alternativas incluem:

  • Antibióticos: estes remédios são utilizados no tratamento do tipo bacteriano da doença. É possível que a identificação do tipo de bactéria que está provocando a pneumonia leve algum tempo, assim como a escolha do melhor antibiótico para tratá-la. Caso os sintomas não melhorem, o médico pode indicar outro antibiótico.
  • Remédio para tosse: este tipo de medicamento pode ser receitado para reduzir a tosse para que o paciente consiga descansar. É uma boa ideia não eliminar totalmente a tosse, porque ela ajuda a soltar e mover o líquido dos pulmões.
  • Analgésicos e redutores de febre: a pessoa pode tomá-los, se necessário, para desconforto e febre. Estão incluídos remédios como aspirina, ibuprofeno e paracetamol.

Hospitalização

A pessoa pode precisar ser hospitalizada se:

  • Estiver confusa sobre pessoas, tempo ou lugares
  • Tiver mais de 65 anos
  • A função renal dela diminuir
  • A respiração estiver rápida
  • A pressão arterial estiver muito baixa
  • Estiver com temperatura abaixo do normal
  • Precisar de assistência respiratória
  • A frequência cardíaca estiver acima de 100 ou abaixo de 50

A pessoa pode ser internada na UTI se precisar ser colocada numa máquina de respiração (ventilador) ou se os sintomas forem graves. Crianças podem ser hospitalizadas se:

  • Tiverem menos de 2 meses de idade
  • Tiverem dificuldade para respirar
  • Estiverem letárgicas ou excessivamente sonolentas
  • Parecerem desidratadas
  • Tiverem baixos níveis de oxigênio no sangue

Quando procurar um médico?

Um médico deve ser consultado se a pessoa tiver dor no peito, dificuldade em respirar, tosse persistente, sobretudo tosse com pus, ou febre de 39ºC ou superior que não baixa.

É especialmente importante que pessoas de grupos de alto risco consultem um médico:

  • Crianças menores de 2 anos com sintomas
  • Idosos com mais de 65 anos
  • Quem tem sistema imunológico enfraquecido ou uma condição de saúde subjacente
  • Pacientes que recebem quimioterapia ou tomam remédios que suprimem o sistema imunológico

Para alguns idosos ou pessoas com problemas pulmonares crônicos e insuficiência cardíaca, a pneumonia pode rapidamente se tornar uma condição com risco de morte.

Como evitar a pneumonia?

Para ajudar a prevenir o problema:

Artigo revisado pelo Dr. Fábio Poianas Giannini (CRM 100.689)

Assine e agende uma consulta

Escolha uma assinatura ideal para você e agende sua consulta agora:

Especialistas mais indicados para o tratamento

Cardiologista