Vale Saúde - Logomarca

Hemangioma

Alteração vascular forma acúmulo de vasos sanguíneos em diferentes partes do corpo

Consulta presencial com cirurgião vascular

A PARTIR DE

R$ 63*

Consulta online com clínico geral

A PARTIR DE

R$ 90*

Desconto em medicamentos

ATÉ

35%

O que é hemangioma?

Hemangioma é um conjunto de pequenos vasos sanguíneos que se aglomeram em determinado ponto do corpo. Os vasos costumam estar bem entrelaçados, com aparência de novelo de lã. As pequenas veias encontram-se englobadas por uma cápsula fibrosa, caracterizando um tumor.

Esse acúmulo anormal de vasos sanguíneos surge na pele ou nos órgãos internos, tendo ocorrências em qualquer parte do organismo. No entanto, os superficiais são mais comuns, principalmente no rosto, pescoço, couro cabeludo ou tronco, caracterizado como uma mancha avermelhada ou arroxeada e inchada.

Em média, 30% dessas alterações já estão presentes no nascimento. O restante aparece nos primeiros meses de vida.

O hemangioma costuma desaparecer sozinho sem que seja necessário realizar tratamento. Porém, em alguns casos, o médico recomenda que sejam feitos exames periódicos para avaliar o desenvolvimento dessa espécie de tumor benigno, a fim de verificar a necessidade de realizar tratamento posterior com laser, medicamentos ou mesmo cirurgia para retirada da massa irregular.

Quais são os tipos de hemangioma?

O hemangioma pode ser capilar, um dos tipos mais comuns, ou cavernoso, dependendo do tipo de vaso sanguíneo que cresce de forma anormal e do local onde ele surge. Geralmente, o hemangioma cavernoso surge dentro dos olhos ou na cavidade do nariz.

Os hemangiomas mais comuns aparecem na pele sob a forma de manchas avermelhadas e com textura diferenciada. Comuns na infância e em recém-nascidos, ocorrem, por exemplo, na cabeça ou abdômen.

O chamado hemangioma plano é observado na pele como manchas planas cor de vinho que, a partir dos 20 anos de idade, conseguem aumentar, formando nódulos capazes de sangrar.

Quando o hemangioma surge no fígado, é chamado de hemangioma hepático, tipo relativamente comum de tumor hepático, em geral detectados por acaso, em exames de rotina. Dependendo de vários fatores, o médico tem a opção de recomendar a remoção deste tipo por procedimento cirúrgico.

O hemangioma ósseo, por sua vez, aparece na coluna vertebral, caracterizando também o hemangioma vertebral. Assim como no fígado, também são descobertos por acaso e, como tratamento, podem receber a indicação de procedimentos médicos como cirurgias ou mesmo tratamento com radioterapia.

Geralmente, os hemangiomas do tipo plano ou cavernoso são congênitos, ou seja, o bebê já nasce com eles. Eles são identificados logo depois do parto ou ainda durante a gestação, por meio da ultrassonografia. Já quando aparece nas duas primeiras semanas de vida, capaz de crescer até o primeiro ano de idade, a alteração é classificada como hemangioma infantil.

Quais são os possíveis sintomas da condição?

O hemangioma surge como uma mancha de cor vermelho vivo, plana, que pode ocorrer em qualquer parte do corpo, mais frequentemente no rosto, couro cabeludo, peito ou costas.

Metade de todos os hemangiomas desaparecem em até cinco anos, e cerca de 70% dos hemangiomas involuem totalmente quando a criança atinge de 10 a 12 anos de idade. Embora a cor da mancha de nascença também desapareça, alguns resíduos conhecidos como sequelas conseguem permanecer na pele do paciente.

Metade de todos os hemangiomas desaparecem em até cinco anos, e quase todos somem em até 10 anos.

Quando o hemangioma formado em órgãos (fígado, sistema respiratório, cérebro ou coluna) atinge mais de 5 cm de diâmetro, ele é capaz de causar desconforto ao indivíduo devido ao seu volume, com sintomas de compressão de outros órgãos, como o estômago, ou, mais raramente, com a distensão da cápsula do fígado.

Também podem surgir sintomas como:

Apesar de não ser grave e a transformação maligna ser rara, dependendo do local que o hemangioma se encontra, é possível haver comprometimento no desenvolvimento de algumas funções e, por isso, deve ser sempre avaliado por um médico.

Quais as causas e fatores de risco do hemangioma?

Geralmente, os hemangiomas são causados por crescimento anormal de pequenas veias e classificados como tumores vasculares benignos. Embora não exista uma teoria definida sobre a real origem dos hemangiomas, as últimas pesquisas científicas indicam que surgem devido à influência de múltiplos fatores, como hormonal, mecânico, relacionado ao meio ambiente e ainda sofrem influências genéticas.

As causas mais apontadas são traumatismos e exposições ao ambiente externo, além de radiação solar. Ainda há pessoas que possuem hemangiomas de forma hereditária.

Doenças cardiovasculares e autoimunes também fazem parte das possíveis causas relacionadas ao acúmulo dos vasos sanguíneos, sendo mais aparentes devido a reações alérgicas, inflamatórias e imunológicas prévias.

Qualquer pessoa está sujeita aos hemangiomas, mas alguns fatores de risco aumentam as chances de desenvolvê-los. Neste caso, esses grupos de pessoas estão entre os que tem mais tendência ao surgimento desses acúmulos:

  • Pessoas do sexo feminino
  • Bebês prematuros
  • Crianças pequenas caucasianas (com pele branca, especialmente de descendência europeia)

Como é feito o diagnóstico do hemangioma?

No caso de hemangiomas que se formam nos órgãos, o diagnóstico é feito a partir de exames de imagem, como ultrassonografia abdominal, tomografia computadorizada ou ressonância magnética.

Em hemangiomas de pele ou infantis, o médico dermatologista ou pediatra, respectivamente, consegue confirmar a suspeita diagnóstica apenas observando as características do hemangioma através da avaliação dermatológica.

Qual é o tratamento para hemangioma?

De forma geral, não é necessário realizar tratamento para hemangioma, já que ele desaparece com o passar do tempo. No entanto, em alguns casos, será necessário que a pessoa realize exames periódicos, principalmente quando o hemangioma se desenvolve em órgãos, para avaliar o seu desenvolvimento e a necessidade de acompanhamento médico específico.

A cirurgia para hemangioma é aconselhada principalmente quando o tumor causa complicações como obstrução das vias respiratórias, interferências na visão ou audição ou dificulta o trabalho do coração, sendo necessário remover o excesso de vasos e aliviar os sintomas. Além disso, a intervenção também pode ser usada em alguns casos apenas para melhorar a aparência estética.

Antes da cirurgia, o especialista tem a possibilidade de indicar tratamentos como terapia a laser ou escleroterapia, capazes de reduzir o fluxo de sangue e eliminar alguns vasos, ou o uso de medicamentos, como corticoide ou betabloqueador, para diminuir a proliferação dos vasos, escolhidos a depender das características de cada quadro clínico.

Quais são as complicações possíveis da condição?

As complicações mais frequentes que um hemangioma hepático consegue provocar são:

  • Ruptura espontânea ou traumática
  • Trombose no tumor
  • Anemia hemolítica microangiopática (fragmentação das células vermelhas)
  • Trombocitopenia (ou plaquetopenia, doença que afeta a produção de plaquetas)
  • Hipofibrinogenemia por coagulopatia de consumo (doença hemorrágica)
  • Necrose
  • Abscesso
  • Icterícia obstrutiva

Os tratamentos para o hemangioma no fígado serão indicados mediante a avaliação médica e a identificação de alterações que estejam interferindo na qualidade de vida do paciente. Os principais procedimentos são a embolização da lesão, ligadura da artéria hepática para o tumor, uso de corticoides e ressecção cirúrgica.

Hemangioma é um tipo de câncer?

Não. Os hemangiomas são classificados como tumores benignos. Na verdade, trata-se somente de uma malformação do sistema vascular. O surgimento de hemangiomas é bastante comum na infância, mas também aparece em adultos.

Alguns hemangiomas podem desaparecer sem a necessidade de intervenção, enquanto outros requerem tratamento, para evitar problemas de saúde.

Não existe uma forma de prevenir essa alteração nos vasos sanguíneos, mas vale ressaltar que hábitos saudáveis como seguir uma dieta equilibrada, praticar exercícios físicos e ter boas noites de sono melhoram a qualidade de vida de quem apresenta esse tipo de formação no organismo.

Assine e agende uma consulta

Escolha uma assinatura ideal para você e agende sua consulta agora:

Especialistas mais indicados para o tratamento

Cirurgião vascular