Vale Saúde - Logomarca

Alergia

Causada por fatores ambientais ou alimentares, doença sistêmica afeta o corpo como um todo

O que é a alergia?

Alergia é uma resposta exagerada e excessiva do sistema imunológico contra substâncias diversas que entram em contato com o organismo, seja pela via respiratória, pela via cutânea ou até mesmo por ingestão. Isso ocorre após a exposição a uma série de agentes, em indivíduos predispostos geneticamente. É também chamada de reação de hipersensibilidade.

Pode atingir indivíduos em qualquer faixa etária, de crianças a adultos, sendo atualmente considerada um problema de saúde pública por acometer cerca de 10% a 20% da população mundial, comprometendo de forma significativa a qualidade de vida de adultos e crianças. No Brasil, a estimativa é que afete mais de 35% da população.

A gravidade das alergias varia de pessoa para pessoa e pode causar desde uma irritação menor (olho mais seco ou pequenas erupções na pele) até anafilaxia - uma emergência potencialmente fatal.

Em função das sensibilidades diferentes entre os indivíduos, os sintomas são bastante diversos. Eles variam diretamente de acordo com os tipos de reação que a pessoa desenvolve.

As substâncias que causam a alergia podem ser bastante variadas e são chamadas de agentes alérgenos. Alguns exemplos de causadores comuns de alergia incluem ácaros (poeira), fungos, certos tipos de medicamentos, pelos de animais, nozes ou amendoim, frutos do mar, picadas de insetos, certos tipos de plantas, pólen das flores e alguns metais, como a prata.

Algumas pessoas podem ainda ter alergias peculiares, como a alergia ao suor, chamada também de alergia ao calor, porque acontece com mais frequência durante o verão, quando suamos com mais intensidade. Quem tem esse tipo de alergia fica, por exemplo, com bolhas avermelhadas no pescoço e nas regiões onde o suor acontece com mais intensidade, como as axilas, além de coceira intensa.

Quais são as chamadas doenças alérgicas?

  • Rinite
  • Conjuntivite (alergia ocular)
  • Sinusite
  • Asma
  • Urticárias e angioedemas (dermatológicas)
  • Reação a drogas (AINES)
  • Alergia a picada de insetos
  • Síndrome Látex & Fruta
  • Eczemas
  • Anafilaxia

Quais podem ser as causas da alergia?

A herança genética é a base para se ter alergia. Entretanto, ela só será desencadeada com a exposição a fatores ambientais.

A alergia na pele (dermatológica), por exemplo, pode ter diversas causas, que incluem:

  • Picadas de insetos
  • Suor
  • Bijuteria
  • Intoxicação alimentar
  • Medicamentos ou alimentos
  • Plantas ou pelos de animais
  • Roupas, cintos ou a alguns tipos de tecido, como lã ou jeans
  • Substâncias ou materiais irritantes como detergente, sabão de lavar roupa, produtos de beleza e cosméticos

Os principais fatores desencadeantes das alergias respiratórias (entre as quais, a mais comum é a rinite) são a exposição aos alérgenos inalantes como ácaros da poeira de casa, fungos (mofo), pelos de animais, baratas, pólens e demais fatores irritantes, como:

  • Odores fortes
  • Mudanças de temperatura
  • Fumaças e poluição
  • Infecções causadas por vírus e bactérias
  • Alguns tipos de medicamentos
  • Fatores emocionais
  • Refluxo gastroesofágico
  • Fatores relacionados ao trabalho

Quais são os sintomas das diferentes alergias?

Alergia alimentar

Os sintomas de alergia alimentar surgem após ingerir alimentos alergênicos, como morango, frutos do mar, amendoim, leite, pimentas ou tomate, e incluem:

  • Formigamento, inchaço ou coceira na boca
  • Coceira na pele, inchaço e vermelhidão
  • Inchaço e coceira do pescoço, lábios, rosto ou língua
  • Dor abdominal
  • Diarreia, enjoos ou vômitos
  • Rouquidão

Alergia dermatológica ou na pele

A alergia na pele pode manifestar-se causando diversos sintomas, sendo frequentes em casos de sistema imune enfraquecido, alergia a medicamentos ou doenças infecciosas e normalmente incluem o surgimento de urticária com bolinhas, coceira, vermelhidão e inchaço da pele.

Geralmente, estes sintomas são causados pelo contato direto com substâncias como perfumes, níquel, esmaltes ou látex, mas também podem ser causados pela liberação de histamina, tendo como origem uma alergia respiratória ou alimentar.

Alergia respiratória

Os sintomas de alergia respiratória costumam afetar nariz, garganta e pele, surgindo:

  • Secreção nasal, deixando o nariz entupido
  • Coceira no nariz
  • Espirros constantes
  • Nariz vermelho
  • Tosse seca e dificuldade para respirar
  • Vermelhidão nos olhos e lacrimejamento
  • Dores de cabeça

Alergia a medicamentos

A alergia a medicamentos causa sintomas parecidos com os outros tipos de alergia, como o surgimento de bolinhas vermelhas na pele, coceira, urticária, inchaços, asma, rinite, diarreia, dor de cabeça e cólicas intestinais.

Esses sintomas surgem com o início do uso do medicamento (principalmente anti-inflamatórios, antibióticos e dipirona), e melhoram quando o tratamento é suspenso. Após identificar um medicamento que causou reação alérgica, é importante sempre informar o nome ao médico antes de qualquer tratamento ou cirurgia, para evitar que o problema se repita.

Como tentar prevenir as alergias?

Os sintomas de alergia podem ser prevenidos, basicamente, evitando o contato, a ingestão ou a exposição a seus fatores desencadeantes (agentes alérgenos), mas para isso é bom ter uma avaliação médica responsável que mapeie as sensibilidades de cada paciente.

Algumas vezes, o disparador da reação alérgica é evidente e pode ser evitado. Em outros casos, é preciso ter ajuda médica para começar a investigar os motivos da alergia. Essa é a tarefa do alergista (ou alergologista), que começa a consulta fazendo uma série de perguntas sobre a vida do paciente a fim de descobrir de onde vem o incômodo.

Geralmente, o médico especialista investiga as condições da moradia e do ambiente de trabalho, quais os sintomas mais recorrentes, quando eles se manifestam e se há algum histórico de doenças alérgicas registrado na família. Alguns exames podem ser solicitados para confirmar o quadro alérgico e dar início a um tratamento adequado, que minimize ou até elimine as crises.

O que vale para todos é manter os cuidados de prevenção dos episódios críticos, como uma rotina rigorosa de higiene pessoal e dos ambientes. Manter lençóis sempre trocados, lavar cortinas e tapetes, aspirar o pó dos ambientes e evitar animais dentro de casa são boas opções para quem sofre com alergias respiratórias, por exemplo. Todas essas orientações serão passadas pelo profissional após a identificação dos disparadores das crises alérgicas.

Como se trata a alergia?

As doenças alérgicas mais comuns ou mais complexas podem ser tratadas, desde que o diagnóstico correto seja feito. As causas das urticárias e dos eczemas nem sempre são bem reconhecidas. A imunologia clínica é uma ciência difícil, por isso a experiência do médico é fundamental.

O alergista ou alergologista faz o processo de identificar a que tipo de substância a pessoa é alérgica, por meio de uma série de testes e de exames. Isso permite que a pessoa com alergia evite ao máximo o contato com esses materiais no futuro. Uma pessoa em crise também pode contar com o médico da alergia para receber receitas que aliviam as reações alérgicas.

Por fim, os casos mais extremos de alergia também podem ser tratados com o auxílio da imunoterapia, que engloba o uso de vacinas para tratar pessoas que tenham alergias graves, que podem causar problemas de saúde como asma, rinite e a anafilaxia.

Para aliviar os sintomas de alergia na pele, deve-se lavar a região com água e sabão hipoalergênico, aplicar um creme hidratante e tomar um remédio anti-histamínico como hidroxizina, prescrito pelo médico. No entanto, nos casos que demoram para passar, é recomendado consultar um dermatologista, pois pode ser necessário fazer uso de medicamentos para alergia.

Nos casos mais graves de alergia alimentar, ou quando o tratamento não é iniciado o mais rápido possível, o paciente pode desenvolver sintomas de anafilaxia, que é uma situação grave que tem de ser tratada no hospital e que inclui sintomas como dificuldade para respirar, inchaço na garganta, queda repentina da pressão ou desmaio.

A alergia respiratória deve ser tratada no hospital com o uso de remédios que facilitam a respiração, como salbutamol ou fenoterol. Ela não provoca asma, mas pode agravar o quadro de um paciente asmático, sendo que nesses casos o paciente deve utilizar o nebulímetro (bombinha de asma) receitado pelo médico e tomar um remédio anti-histamínico, para reduzir os sintomas de alergia.

Assine e agende uma consulta

Escolha uma assinatura ideal para você e agende sua consulta agora:

Especialistas mais indicados para o tratamento

Clínico Geral

Leia mais no nosso blog Saúde V