Vale Saúde - Logomarca

Febre

Sintoma se caracteriza pelo aumento da temperatura corporal acima dos níveis normais

O que é febre?

A febre, diferentemente do que muitas pessoas pensam, não é uma doença, mas sim um sinal que o corpo emite quando está acontecendo algo em nosso organismo. Há centenas de condições médicas que têm a febre como principal manifestação, como é o caso da gripe, COVID-19, febre amarela e malária.

Ela acontece quando há um aumento da temperatura do corpo, que pode ser maior que **37,2 ºC (axilar) e superior a 38 ºC (retal) **. Vale lembrar também que para identificar a febre, basta ter em mãos um termômetro, seguir as recomendações do fabricante e principalmente ficar atento ao tempo correto para fazer a medição.

Quais os tipos de febre?

Para os profissionais da saúde, os tipos de febre são classificados pela faixa de temperatura medida no termômetro. A classificação é a seguinte:

  • Febrícula ou estado febril: até 37,8 ºC
  • Febre moderada: entre 38 ºC e 38,5 ºC
  • Febre alta: acima de 38,6 ºC

Fora essas três classificações da febre, ela também pode ser medida pela forma como o sintoma se manifesta no paciente. Nesse caso, há cinco padrões distintos:

  1. Contínua: quando a temperatura se mantém alta por longos períodos, sem oscilações
  2. Séptica ou irregular: quando a febre tem picos elevados de temperatura, mas também há intervalos de quedas bruscas, que chegam a fazer o corpo ficar com sua temperatura ideal
  3. Remitente ou febre maculosa: quando a febre é vista diariamente, variando em altas temperaturas, mas sem ficar no estado febril
  4. Intermitente: quando há aquela febre que vai e volta e pode ocorrer em ciclos de um ou dois dias
  5. Recorrente: quando a febre acontece no intervalo de diversos dias ou até mesmo semanas

Além disso, é válido mencionar outros dois tipos de febre popularmente conhecidas como: febre interna e febre emocional.

Febre interna

Antes de mais nada, não há indícios que realmente haja uma febre interna. Mas nesses casos, os sintomas geralmente são calafrios, dor de cabeça e suor frio, tudo isso sem alterações significativas no termômetro.

A febre interna não se trata de febre em si, mas sim de um incômodo fora do comum que pode acontecer devido ao estresse, exposição ao frio e prática de exercícios excessivas.

Febre emocional

Febre emocional é quando a pessoa passa por longos períodos de estresse em seu dia a dia, com impacto persistente e crônico na parte emocional. Essa é, talvez, uma das condições mais difíceis de ser diagnosticada e estudada, pois é praticamente impossível diagnosticar pelos modos convencionais da medicina.

O tratamento também não tem resposta aos medicamentos comuns, como é o caso dos anti-inflamatórios e antitérmicos.

Para que serve a febre?

Muita gente não sabe, mas a febre tem um papel muito importante para a nossa saúde. Ela é, nada mais nada menos, do que um mecanismo de defesa que o corpo cria contra infecções.

Através de circuitos fisiológicos e neuronais integrados, a temperatura do corpo é elevada para garantir a sobrevivência das células que estão sendo atacadas no organismo.

Quais os sintomas associados da febre?

A febre também possui alguns sinais indicativos da condição. São eles:

O que causa a febre?

As causas mais comuns de febre são as doenças infecciosas, que alteram diretamente a temperatura de nosso corpo. Mas há também febres causadas por inflamações no organismo, chamadas de febre reumática.

Sobre as condições infecciosas, destacam-se as principais que causam febre:

Tratamentos para a febre

De modo geral, os tratamentos para a febre dependem de ações simples, mas que são muito eficazes, como:

Hipertermia e febre são a mesma coisa?

Muita gente acha que hipertermia e febre são a mesma coisa, já que nos dois casos o corpo sofre um aumento de temperatura. Mas, na verdade, hipertemia está relacionada a alterações no termostato do nosso corpo, ou seja, a parte que mantém o equilíbrio da temperatura. Nesse caso, acontece uma falha nos mecanismos de termorregulação, responsáveis por fazer o calor desaparecer.

A hipertermia tem diferentes causas e a mais comum delas é o excesso de exposição ao calor. Um bom exemplo é que se em dias de calor você ficar dentro do carro fechado, corre o risco de você elevar a temperatura do seu corpo.

Hipertermia também pode ser causada pelo nível excessivo de esforço ao fazer exercícios físicos e até mesmo pelo uso de medicamentos. Ao contrário da febre, ela não pode ser tratada com o uso de antitérmicos, mas sim de compressas com água fresca, hidratação e reposição de fluídos, como é o caso das injeções intravenosas (direta na veia).

Assine e agende uma consulta

Escolha uma assinatura ideal para você e agende sua consulta agora:

Especialistas mais indicados para o tratamento

Clínico Geral

Leia mais no nosso blog Saúde V