Vale Saúde - Logomarca

Halitose

Caracterizada pelo odor desagradável, condição atinge cerca de 40% da população mundial

Consulta presencial odontológica

A PARTIR DE

R$ 32*

Consulta online com clínico geral

A PARTIR DE

R$ 90*

Desconto em medicamentos

ATÉ

35%

O que é halitose?

A halitose, popularmente conhecida como mau hálito, é um sinal de que algo não vai bem no nosso organismo. Ela caracteriza disfunções orgânicas, que precisam de tratamento, doenças como diabetes e refluxo gastroesofágico, além de má higiene bucal.

Tendo em vista que essa condição é capaz de levar um indivíduo ao isolamento do convívio social, fazendo com que ele se retraia, é importante identificar sua presença o quanto antes para ser tratada.

Pesquisas demonstraram que a principal região do corpo responsável pelo surgimento do mau hálito é a área posterior da língua, no fundo da boca. Essa região recebe um fluxo menor de saliva e contém um número grande de cavidades, onde as bactérias se alojam.

Nesse local, as bactérias digerem as proteínas dos restos de alimentos que ficam retidos na nossa boca, além das contidas no muco que sai dos seios da face em direção à faringe. Cerca de 90% dos casos de halitose são causados no ambiente bucal, enquanto de 5% a 10% têm origem sistêmica.

A halitose também ocorre devido ao consumo excessivo de alimentos que favorecem a produção de enxofre pelo nosso organismo, como alho, cebola, brócolis e couve-flor. Apesar de ser desagradável pelo seu odor, essa condição atinge mais de 40% da população do planeta, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde).

O que causa a halitose?

Na literatura médica, estão registradas mais de 40 causas diferentes para halitose. Dentre as principais, estão:

  • Má higienização da boca, deixando que bactérias presentes na cavidade oral se decomponham, favorecendo a formação de placas, cárie e saburra lingual (crosta esbranquiçada ou amarronzada no dorso da língua)
  • Diminuição na produção de saliva, que geralmente ocorre durante a noite e resulta numa liberação maior de enxofre pelas bactérias naturalmente presentes na boca
  • Boca ressecada por ficar muitas horas de jejum, má hidratação, estresse, respirar pela boca e falar por bastante tempo
  • Uso de alguns medicamentos que diminuem a produção de saliva como, antineoplásicos, anti-histamínicos, anfetaminas, tranquilizantes, diuréticos e fenotiazinas
  • Ingerir alimentos como alho e cebola em grandes quantidades, que possuem substâncias que, ao caírem na corrente sanguínea, são transferidas para o pulmão, e seu aroma é expelido. O odor se prolonga até o alimento ser completamente eliminado pelo organismo
  • Problemas estomacais, como má digestão, refluxo ou gastrite
  • Infecções bucais ou na garganta, como gengivite, periodontite, sinusite e amigdalite
  • Formação de cáseos amigdalianos (pequenas bolinhas brancas na garganta resultado do acúmulo de restos de alimentos)
  • Diabetes descompensada, quando os níveis de açúcar estão muito altos no sangue
  • Problemas no fígado e insuficiência renal

Quais são os sintomas?

A alteração no odor do hálito é o principal sintoma da halitose. O maior problema dessa característica é que muitas vezes a própria pessoa não percebe o mau cheiro, mas, sim, as que estão próximas a ela. A halitose é uma condição que afeta muito a autoestima de uma pessoa, deixando-a vulnerável, causando ansiedade, insegurança nas relações sociais e dependência para ser avisada por quem se importa com ela.

É importante buscar a orientação de um profissional o mais rápido possível quando houver suspeita de mau hálito persistente, pois o diagnóstico do quadro pode ser mais complexo do que se imagina.

Como é feito o diagnóstico?

Tendo em vista que a halitose é um sintoma de que algo não vai bem no organismo, é fundamental determinar o que está causando o odor na boca. Por isso, o primeiro passo é consultar com um dentista, que vai avaliar o caso, diagnosticar as causas do mau hálito e, então, indicar o tratamento adequado.

O especialista examinará a saúde geral da boca do paciente e seus outros sintomas, como boca seca, dores ou coriza. Além disso, ele também pode indicar outros profissionais, como o clínico geral, para investigar se há a presença de alguma doença relacionada ao mau hálito.

Qual o tratamento para halitose? Como prevenir?

Após descobrir a causa do mau hálito, é possível começar a tomar algumas medidas que são ótimas aliadas para melhorar essa condição, por exemplo:

  • Escovar bem os dentes, e quando o fizer, usar também fio dental e escovar a língua, principalmente na parte posterior
  • Beber pelo menos dois litros de água por dia, para que a boca fique sempre umedecida
  • Se alimentar com constância e evitar permanecer muitas horas sem comer, já que o jejum favorece o surgimento da halitose
  • Fazer a raspagem da língua uma ver por dia pode ajudar, no entanto, para quem sofre com a halitose, é indicado utilizar o raspador ao menos três vezes ao dia, removendo a saburra lingual
  • Cuidar dos níveis de glicose e verificar o funcionamento do estômago, rins e intestinos, garantindo que não há nenhuma alteração
  • Visitar o dentista regularmente

Algumas pessoas também fazem uso de um aparelho chamado halímetro, que é capaz de medir o grau de halitose. Alguns modelos portáteis permitem que pacientes consigam controlar a intensidade do distúrbio, ajudando no seu tratamento.

Assine e agende uma consulta

Escolha uma assinatura ideal para você e agende sua consulta agora:

Especialistas mais indicados para o tratamento

Dentista