Vale Saúde - Logomarca

Sobre a Vale Saúde

Rede de Atendimento

Blog

Ajuda

Pielonefrite

Infecção renal pode ser crônica ou aguda, tendo sintomas repentinos e intensos

Consulta presencial com nefrologista

A PARTIR DE

R$ 125*

Consulta online com clínico geral

A PARTIR DE

R$ 90*

Desconto em medicamentos

ATÉ

35%

O que é a pielonefrite?

O sistema urinário é composto por dois rins, que filtram o sangue para separar as impurezas que são eliminadas pelas vias urinárias: um ureter de cada lado, a bexiga urinária e a uretra. Cabe a elas transportar as toxinas para fora do corpo.

Todos os órgãos do sistema urinário estão correlacionados com a produção, armazenamento e eliminação da urina, para preservar as concentrações ideais de substâncias químicas e água. Se elas estiverem em níveis adequados, a pressão arterial e a temperatura corporal ficam reguladas para manter o equilíbrio do organismo.

A infecção urinária pode se dar no trato urinário inferior (bexiga e uretra) ou trato urinário superior ou alto (rins). Os quadros que envolvem a bexiga são as conhecidas cistites, e os casos que envolvem os rins são chamados de pielonefrite.

Podendo ser aguda ou crônica, a pielonefrite é uma doença inflamatória infecciosa, potencialmente grave, causada por bactérias.

Ela atinge o parênquima renal, onde se localizam as estruturas funcionais produtoras de urina, e o bacinete (ou pelve renal), porção dilatada do rim, com o formato aproximado de um funil, cuja função é facilitar o fluxo da urina pelos ureteres, a fim de que seja armazenada na bexiga e depois eliminada pela uretra.

Para uma comparação da ocorrência das duas condições, a pielonefrite aguda ocorre cerca de 18 vezes menos que a cistite. Em geral, o quadro clínico da pielonefrite é mais sério e, em muitos casos, leva o paciente à internação hospitalar.

A grande diferença entre as duas é uma dor muito forte nas costas, do lado direito ou esquerdo (vai depender do rim afetado), e a presença significativa de febre nas medições de temperatura. Se estiver com esses sintomas, procure atendimento médico com urgência, pois a pielonefrite pode ser consequência de um cálculo renal.

Quais são os tipos de pielonefrite?

A doença pode ser considerada aguda ou crônica.

  • Na pielonefrite aguda, a infecção bacteriana surge repentinamente e compromete o funcionamento dos rins. Se não tratada adequadamente, pode evoluir para uma doença renal crônica, tornando-se potencialmente grave

  • Na pielonefrite crônica, os rins perdem a capacidade de funcionamento aos poucos, o que pode estar relacionado a uma outra doença já existente no paciente (como hipertensão arterial e diabetes) ou a infecções agudas repetidas ou mal curadas, que conseguem levar à falência dos rins

Quais são os sintomas da infecção renal?

Os principais sinais do corpo para pielonefrite, tanto aguda quanto crônica, são:

  • Dor tipo cólica no abdômen
  • Dor forte no fundo das costas (lombar)
  • Dificuldade para urinar
  • Vontade de urinar frequente e em pequenas quantidades
  • Disúria (dor ou ardência a urinar)
  • Urina com mau cheiro e escura
  • Febre
  • Calafrios
  • Sudorese
  • Náuseas e vômitos
  • Falta de apetite
  • Cansaço
  • Piúria (pus na urina)
  • Hematúria (presença de sangue na urina)

Os sintomas da infecção renal normalmente surgem de modo repentino e intenso, desaparecendo ao fim de alguns dias, quando o tratamento é feito adequadamente.

Quando a infecção não é tratada, a inflamação nos rins pode causar danos permanentes, que acabam afetando o funcionamento do órgão e levando ao aparecimento de insuficiência renal.

Como é o diagnóstico da doença?

Para confirmar a pielonefrite, é importante consultar um nefrologista ou urologista, que fará o diagnóstico da doença por meio da avaliação dos sintomas. Durante o atendimento, o especialista deve fazer um exame físico a partir das queixas do paciente, verificando a região lombar e a resposta de dor a estímulos de toque e movimentos.

Para ajudar a confirmar o diagnóstico, o médico ainda pode solicitar exames complementares de laboratório e imagem.

As análises de sangue em laboratório, como um hemograma completo, conseguem detectar a presença de infecção nos rins, por meio da análise de sangue, quantificando as células brancas (indicativas de infecção no organismo).

Já os testes de urina tipo I e urocultura com antibiograma são úteis para confirmar a presença da infecção, de sangue, nitritos e leucócitos na urina, identificar o agente infeccioso (pela cultura bacteriana) e orientar a conduta terapêutica (qual antibiótico deve ser prescrito para aquele tipo de bactéria).

Exames de imagem, como ultrassonografia do abdômen, tomografia computadorizada e ressonância magnética, também podem ser úteis para visualizar cálculos renais, por exemplo. Eles servem para identificar anormalidades estruturais ou anatômicas no sistema urinário que representam risco aumentado de doença renal grave.

É sempre importante estabelecer o diagnóstico diferencial com doenças que podem apresentar sintomas semelhantes aos da pielonefrite. Entre elas, merecem destaque a doença inflamatória pélvica, a colecistite (inflamação da vesícula biliar), a apendicite (inflamação do apêndice vermiforme) e a pancreatite aguda (inflamação do pâncreas).

Qual o tratamento para pielonefrite?

Com acompanhamento de um nefrologista ou urologista, o tratamento da infecção renal depende da causa e se ela é aguda ou crônica. Nos casos em que a infecção é provocada por bactérias, o tratamento consiste na administração de antibióticos, via oral ou intravenosa (em caso de hospitalização), por um período que pode variar de 10 a 14 dias, dependendo da orientação médica.

O objetivo é impedir que as bactérias se espalhem por todo o corpo - evitando uma infecção generalizada (septicemia) - ou que provoquem lesões permanentes nos órgãos infectados.

Alguns analgésicos e/ou anti-inflamatórios também são indicados para aliviar a dor, assim como medicações para deter o desconforto das náuseas e evitar vômitos.

Durante o tratamento da pielonefrite e outras infecções urinárias, a ingestão de grande quantidade de água e chás é importante para facilitar a cura da doença.

Depois de uma crise como esta, em que as dores são muito fortes, é importante ter um acompanhamento com especialista, para identificar possíveis causas e prevenir novos casos de infecção. E nunca esqueça: jamais se automedique, nem suspenda o uso de algum remédio sem orientação profissional.

Qual a diferença entre nefrite e pielonefrite?

A principal diferença entre nefrite e pielonefrite é que esta última é a inflamação do rim devido às infecções do trato urinário que atingem a região da pelve. A nefrite é a inflamação dos rins e pode abranger os glomérulos, os túbulos e o tecido intersticial (espaço entre os néfrons e vasos sanguíneos e linfáticos) que envolve os glomérulos e os túbulos.

Em geral, a nefrite é causada por infecções virais ou bacterianas, doenças autoimunes e outras condições médicas.

Assine e agende uma consulta

Escolha uma assinatura ideal para você e agende sua consulta agora:

Especialistas mais indicados para o tratamento

Urologista

Tire suas dúvidas sobre a Vale Saúde na nossa central de ajuda

Vale Saúde - Logomarca
Vivo - Logomarca

A Vale Saúde é uma assinatura e não um plano de saúde.

*Valores de referência em SP Capital, podem variar dependendo do prestador e região do país, mas o preço exato será informado na solicitação de orçamento e agendamento. Os serviços de saúde são de inteira responsabilidade dos prestadores, sendo a Vale Saúde apenas meio de pagamento e plataforma que conecta o usuário com a rede credenciada. Valores sujeitos a alteração sem aviso prévio.

Copyright © 2022-2023 Vale Saúde. Todos os direitos reservados. CNPJ: 14.336.330/0001-67 | Av. Engenheiro Luis Carlos Berrini, 1.376 - Cidade Monções 04.571-936 – São Paulo/SP – Brasil