Vale Saúde - Logomarca

Sobre a Vale Saúde

Rede de Atendimento

Blog

Ajuda

Colite

Entenda a diferença entre os tipos de inflamação no cólon, a parte central do intestino grosso

Consulta presencial com gastroenterologista

A PARTIR DE

R$ 60*

Consulta online com gastroenterologista

A PARTIR DE

R$ 90*

Desconto em medicamentos

ATÉ

35%

O que é a colite?

A colite é uma inflamação do cólon (intestino grosso). O termo também é usado para designar outros problemas do trato intestinal, como diarreia e infecções intestinais.

Quando acometido pela colite, o intestino grosso perde a capacidade de absorção de nutrientes. A doença pode ser tanto aguda quanto crônica, dependendo de sua gravidade.

O diagnóstico de colite geralmente começa com um exame físico e o questionamento sobre o histórico médico do paciente. Em seguida, o médico poderá solicitar exames de sangue, de urina e de fezes para checar anormalidades.

O paciente talvez também tenha de realizar exames de imagem, como colonoscopia e tomografia computadorizada, que ajudarão o especialista a identificar possíveis inflamações no cólon. Com uma variada gama de causas, o tratamento bem-sucedido da colite depende de um correto diagnóstico, que evite a confusão com doenças como a Síndrome do Intestino Irritável.

Entre os diversos tipos da enfermidade podem estar a colite ulcerosa, idiopática, isquêmica, amebiana e até a associada ao HIV; e ainda existem outras.

Quais são as causas da colite?

Múltiplas razões podem levar uma pessoa a desenvolver um quadro de colite. Veja alguns exemplos:

  • Infecções agudas e crônicas por vírus, bactérias e parasitas
  • Intoxicação alimentar
  • Distúrbios inflamatórios (principalmente nos casos de colite ulcerativa, Doença de Crohn, colite linfocítica e colagenosa)
  • Ação do próprio sistema imunológico (doença autoimune)
  • Estresse, ansiedade e pressão psicológica
  • Síndrome do intestino irritável
  • Ausência de fluxo sanguíneo (no caso da colite isquêmica)
  • Radiação passada para o intestino grosso

Quais são os principais sintomas da doença?

Os sintomas estão relacionados com a inflamação progressiva do sistema digestivo e podem ser menos ou mais intensos de acordo com o tipo de colite desenvolvida. Mas, no geral, o paciente pode apresentar:

  • Dor ou cólica abdominal constante ou recorrente
  • Dilatação abdominal
  • Necessidade constante de evacuar
  • Alternância entre períodos de diarreia e prisão de ventre
  • Excesso de gases intestinais
  • Presença de muco nas fezes
  • Fezes com sangue
  • Mal-estar com calafrios
  • Febre
  • Cansaço excessivo
  • Desidratação
  • Em alguns casos, presença de feridas na boca
  • Perda de apetite

Além disso, em alguns pacientes, podem surgir sintomas não relacionados ao sistema gastrointestinal, como dor nas articulações, inflamação na esclera do olho (uveíte) e alterações na pele.

Quais são os diversos tipos de colite?

A colite pode ser classificada em diferentes tipos de acordo com a causa e sintomas apresentados, sendo os principais:

  • Retocolite ulcerativa: pode ser grave e estar associada ao câncer colorretal. Manifesta-se na forma de ulcerações que podem se concentrar em uma determinada parte do cólon ou atingir toda a mucosa do órgão. Exige tratamento medicamentoso e obriga o indivíduo a fazer um acompanhamento criterioso e constante, devido ao risco de câncer.
  • Isquêmica: este tipo decorre da falta de irrigação sanguínea pontual. Leva a mucosa a apresentar palidez e, com a interrupção de irrigação sanguínea, causa lesões no cólon. Acomete, normalmente, quem tem doença arteriosclerótica e é mais comum em idosos. O tratamento consiste somente no controle e alívio de sintomas.
  • Nervosa: também chamada de síndrome do intestino irritável, é mais comum em jovens e é causada por condições psicológicas, como estresse e ansiedade, por exemplo, o que deixa o intestino mais sensível e favorece a ocorrência de lesões. Esse tipo de colite é caracterizado por dor, inchaço abdominal e excesso de gases.
  • Pseudomembranosa: este tipo é causado por uma bactéria oportunista que aparece após o uso prolongado de antibióticos, prática que pode matar a flora intestinal. Com isso, germes patogênicos podem aparecer, incluindo o Clostridium difficile, que pode levar à colite. O tratamento se faz por meio de antibiótico específico para combater esta bactéria e, posteriormente, para reposição da flora.
  • Microscópica: é um tipo de colite que é diagnosticada somente por meio de uma biópsia feita durante o exame de colonoscopia. As alterações no intestino só conseguem ser visualizadas pela análise das células intestinais no microscópio. Geralmente está associada a distúrbios autoimunes, como a doença celíaca, Crohn, diabetes tipo 1 ou psoríase, ou uso de remédios como inibidores da bomba de próton, antidepressivos inibidores da recaptação da serotonina ou anti-inflamatórios não esteroides, como o ácido acetilsalicílico, por exemplo.
  • Infecciosa: é causada por uma infecção por vírus, como o norovírus, rotavírus, adenovírus ou citomegalovírus, parasitas, como a Entamoeba histolytica, e bactérias como Campylobacter jejuni, Salmonella, Shigella, Escherichia coli, Yersinia enterocolitica ou Mycobacterium tuberculosis. Além disso, algumas infecções sexualmente transmissíveis também podem causar a colite infecciosa como gonorreia, clamídia, herpes simples 1 e 2 ou sífilis, especialmente em pessoas que possuem infecção pelo HIV.
  • Alérgica: é mais comum em bebês e, geralmente, está associada a alergia ou reação de hipersensibilidade às proteínas do leite materno, de vaca ou fórmulas infantis, levando ao surgimento de sintomas como refluxo, excesso de produção de saliva, sangue nas fezes ou irritação.
  • Enterocolite: é um tipo de colite que pode ser provocado tanto por infecção bacteriana ou viral quanto por medicamentos e intoxicação alimentar.
  • Colite por radioterapia: Ocorre em pessoas que fazem ou fizeram radioterapia para o tratamento de câncer de útero. Nesse caso, a radiação ultrapassa o órgão e atinge o intestino - causando a colite actínica, que é por radioterapia.
  • Diverticulite: a inflamação na parede interna do intestino (divertículos) também pode ser um tipo de colite. Neste caso, a inflamação da colite pode segmentar-se nos divertículos.

Como é feito o tratamento da doença?

O tratamento é feito de acordo com sua causa. A indicação de medicamentos para aliviar os sintomas, como anti-inflamatórios (ibuprofeno), analgésicos (paracetamol) ou ainda antibióticos para tratar a infecção, será feita após o diagnóstico correto da colite por um médico. A recomendação mais adequada do tratamento é feita apenas após a constatação da doença. Podem ser consultados clínicos gerais, gastroenterologistas ou proctologistas.

Na fase ativa da doença, com sintomas como diarreia, a pessoa que foi diagnosticada com colite deve evitar alimentos picantes e condimentados, como pimenta, páprica, molho shoyu, mostarda e ketchup, porque podem irritar ainda mais a mucosa intestinal.

Também recomenda-se deixar de lado por um tempo, após uma crise, vegetais muito fibrosos, como brócolis, repolho, milho e demais grãos, podem ser difíceis de digerir, causando inchaço, gases e cólicas abdominais. Arroz branco, batatas e peixes são ingredientes que podem ser consumidos durante os episódios de colite.

Como prevenir a irritação do intestino?

É importante ter uma alimentação saudável e orientada por um nutricionista para evitar a irritação do intestino e o surgimento de mais lesões. A alimentação não é a causa da doença, mas manter uma dieta com alimentos leves e diminuir os ricos em gorduras e condimentados contribui para melhorar a qualidade de vida de quem tem colite.

Algumas recomendações para auxiliar o tratamento são evitar o consumo de alimentos crus e mastigar muito bem as refeições e lanches. É muito importante também aumentar a flora bacteriana ingerindo uma maior quantidade de alimentos probióticos como iogurtes e os leites fermentados, por exemplo.

Quem tem colite deve manter uma dieta saudável com comidas mais leves e menos apimentadas.

Assine e agende uma consulta

Escolha uma assinatura ideal para você e agende sua consulta agora:

Especialistas mais indicados para o tratamento

Clínico Geral

Tire suas dúvidas sobre a Vale Saúde na nossa central de ajuda

Vale Saúde - Logomarca
Vivo - Logomarca

A Vale Saúde é uma assinatura e não um plano de saúde.

*Valores de referência em SP Capital, podem variar dependendo do prestador e região do país, mas o preço exato será informado na solicitação de orçamento e agendamento. Os serviços de saúde são de inteira responsabilidade dos prestadores, sendo a Vale Saúde apenas meio de pagamento e plataforma que conecta o usuário com a rede credenciada. Valores sujeitos a alteração sem aviso prévio.

Copyright © 2022-2023 Vale Saúde. Todos os direitos reservados. CNPJ: 14.336.330/0001-67 | Av. Engenheiro Luis Carlos Berrini, 1.376 - Cidade Moções 04.571-936 – São Paulo/SP – Brasil