Vale Saúde - Logomarca

Sobre a Vale Saúde

Rede de Atendimento

Blog

Ajuda

Problemas de Joelho

Saiba como buscar ajuda para dores que têm origem em alterações na articulação do joelho

Consulta presencial com ortopedista

A PARTIR DE

R$ 60*

Consulta online com ortopedista

A PARTIR DE

R$ 105*

Desconto em medicamentos

ATÉ

35%

Como identificar problemas no joelho?

Formado pelo fêmur, tíbia e patela, o joelho é uma das maiores articulações do nosso corpo, imprescindível para a realização de movimentos simples, como levantar, caminhar e agachar. A articulação é composta por quatro ligamentos, dois meniscos, cartilagem e a membrana sinovial, que lubrifica as estruturas por meio de um líquido.

Como é propenso a lesões diretas e indiretas, além de ser bastante exigido, o joelho é uma das áreas que mais sofrem com traumas (torções, fraturas, luxações ou até mesmo o desgaste natural).

A dor no joelho é um dos principais problemas articulares que leva à busca por tratamento médico, e há inúmeras causas para esse problema, como traumas ou postura incorreta. Os principais motivos de dor na articulação são: sobrecarga, inflamação e lesões articulares. É muito comum que estas causas estejam combinadas.

Além disso, o joelho pode incomodar por causas fora da articulação, como a dor miofascial (relacionada aos músculos e fáscias ao redor do joelho) e a dor neuropática (proveniente dos nervos). O diagnóstico da causa de base da dor é feito com avaliação da história clínica do paciente e exame físico, complementado por exames de imagem.

Problemas e lesões de joelho mais comuns e seus sintomas

  • Cisto de Baker: um tipo de edema que se forma na articulação atrás do joelho, devido ao acúmulo de líquido sinovial, causando inchaço, rigidez e dor ao dobrar o joelho, que piora com atividade física, e uma “bola” dolorida e móvel que pode ser palpada com as mãos. No entanto, nem todo cisto de Baker leva ao aparecimento de sintomas e/ ou tem indicação de tratamento. Também chamado de cisto poplíteo, normalmente está relacionado a outras doenças como artrite reumatoide, osteoartrite, lesão no menisco ou desgaste da cartilagem e, por isso, não necessita de tratamento, desaparecendo quando a doença que o causa é controlada.

  • Condropatia (condromalácia) patelar: é um desgaste na cartilagem do joelho, numa região chamada côndilo femoral, que acaba ocasionando dor e inflamação no local. Ela é mais comum em mulheres e é dividida basicamente em quatro níveis, de acordo com a gravidade do comprometimento da patela.

  • Rompimentos do ligamento cruzado anterior e posterior: atinge cada vez mais os jovens, que passaram a competir cedo e intensamente; leva à instabilidade do joelho muitas vezes incompatível com a prática esportiva do futebol, basquete e vôlei, e expõe a articulação a outros danos, como a lesão de meniscos e cartilagem.

  • Lesão dos meniscos: duas estruturas que ficam dentro do joelho são amortecedoras e estabilizadoras. O menisco tem uma superfície lisa com grande capacidade de adaptar-se à compressão, deformando-se e retornando à sua forma original. O mecanismo de lesão mais comum se dá por meio de trauma indireto, entorse do joelho (sem contato direto), traumatismo direto ou desgaste, e gera dor, travamento e estalos.

  • Síndrome do trato iliotibial: também chamada de síndrome da banda iliotibial ou síndrome do corredor, causa dor atrás e na lateral do joelho e é muito comum em praticantes de corrida, ciclistas ou outros esportes que necessitem dobrar o joelho repetidamente. Geralmente, essa síndrome está relacionada à fraqueza e má flexibilidade muscular ou erros de treinamento com intensidades e volumes inadequados, além das condições em que se pratica o esporte, como o terreno, tipo de tênis ou postura inadequada.

  • Dor femoropatelar ou patelofemoral: dor no joelho causada pela sobrecarga da articulação entre a patela e o fêmur. Piora com subir e descer escadas e agachamentos. Também chamada de joelho do corredor, ocorre quando a cartilagem é forçada de um lado só.

  • Tendinite: inflamação que ocorre no tendão, que é a parte final do músculo que se liga ao osso, podendo ocorrer nos tendões isquiotibiais, que são os que estão localizados na região posterior da coxa, causando dor atrás, na parte lateral e ao movimentar o joelho, além de inchaço.

  • Bursite: uma inflamação da bursa, uma pequena bolsa cheia de líquido que serve como um amortecedor entre os ossos, tendões e músculos, evitando o contato com estas estruturas que poderiam ser danificadas pelo atrito constante. A bursite no joelho, geralmente, está associada a atividades como dobrar o joelho ou ajoelhar repetidamente, esportes como jiu-jitsu, futebol e voleibol, quedas ou pancadas podem causar irritação e inflamação da bursa. Além disso, a obesidade ou artrose podem ocasionar a bursite anserina, também chamada de bursite da pata de ganso, que causa dor na parte interna logo abaixo da articulação.

  • Osteoartrose: a artrose no joelho é uma doença reumática que causa degeneração da cartilagem do joelho, diminuindo a qualidade, a quantidade e espessura dessa cartilagem, provocando dor crônica. Esta doença pode impactar nas atividades do dia a dia por causar dor ao caminhar, por ficar muito tempo de pé ou ao subir escada.

  • Artrite reumatoide: doença autoimune, inflamatória e crônica que provoca rigidez, dor e inchaço nas articulações. A dor no joelho ao acordar pode ser causada pela artrite reumatoide, sendo que a dor é mais intensa durante os primeiros minutos da manhã e melhora com o movimento. Além disso, a dor que surge com inchaço, mas sem ter sido provocada por um trauma, pode indicar artrite reumatoide.

  • Doença de Osgood-Schlatter: uma inflamação no tendão da patela e está relacionada ao crescimento rápido, podendo ocorrer em crianças de 10 a 15 anos. Geralmente, a dor é localizada na parte de baixo do joelho e ocorre após atividades físicas como futebol, basquete, vôlei ou ginástica olímpica, e pode melhorar com o repouso.

Outras causas de dores no joelho

  • Calçados inadequados
  • Má postura
  • Tendinite patelar
  • Sedentarismo
  • Obesidade ou sobrepeso
  • Traumatismos
  • Recuperação insuficiente de lesões prévias
  • Erros nos treinamentos físicos
  • Fraturas de estresse
  • Instabilidade articular
  • Doenças inflamatórias
  • Encurtamentos ou desequilíbrios musculares e de tendão
  • Histórico familiar

Quando ir ao especialista?

É importante consultar o ortopedista, fisiatra ou fisioterapeuta quando:

  • A dor durar mais de 3 dias, mesmo após repouso e aplicação de compressas geladas
  • A dor é muito intensa ao fazer atividades diárias, como passar roupa de pé, levar crianças no colo, caminhar ou subir escadas
  • O** joelho não dobra ou faz barulho** ao movimentar
  • A articulação do joelho parecer deformada
  • Surgirem outros sintomas como febre ou formigamento

Nestes casos, o ortopedista pode pedir um exame de raio-X ou uma ressonância magnética para fazer o diagnóstico do problema e recomendar o tratamento adequado.

Como é feito o tratamento?

Para iniciar o tratamento dos problemas que causam dor no joelho, é preciso diagnosticar a sua causa. O mais comum é que seja à base de medicamentos, fisioterapia e orientações para a prática de exercícios e mudanças de hábitos.

Cirurgia costuma ser uma opção apenas quando não houver resposta satisfatória a essas abordagens, mas quem deve fazer a avaliação é o médico ortopedista e traumatologista.

Tratamento alternativo para dor no joelho

Normalmente, a dor no joelho pode ser tratada com anti-inflamatórios receitados pelo ortopedista, como Diclofenaco ou Ibuprofeno; pomada de anti-inflamatório e analgésicos simples ou cirurgia para substituição de porções danificadas do joelho.

Porém, pode ser adotado um tratamento alternativo para dores no joelho, especialmente por quem tem reações adversas aos medicamentos alopáticos e inclui:

  • Homeopatia: utilização de remédios homeopáticos, como Reumamed ou Homeoflan, receitados pelo especialista, para tratar a inflamação do joelho causada por artrite ou tendinite
  • Acupuntura: esta técnica pode ajudar no alívio da dor no joelho relacionada a artrite, osteoartrose ou traumas
  • Compressas: colocar compressas quentes com 3 gotas de óleo essencial de sálvia ou alecrim 2 vezes por dia, a partir do 3º dia de surgimento dos sintomas
  • Repouso do joelho: consiste em enfaixar o joelho, principalmente quando é necessário permanecer muito tempo em pé

Além disso, deve-se evitar correr ou caminhar sempre que a dor no joelho estiver presente, não pegar em peso e sentar em cadeiras altas, para não forçar os joelhos ao levantar.

O tratamento alternativo para dor no joelho não deve substituir o tratamento indicado pelo médico, uma vez que pode piorar o problema que causou os sintomas.

Como as dores nos joelhos podem ser evitadas?

As dores nos joelhos podem ser prevenidas a partir de algumas mudanças comportamentais:

  • Prática de Pilates
  • Exercícios para fortalecimento da musculatura dos membros inferiores
  • Compressa de gelo para aliviar a dor recorrente
  • Manter boa postura
  • Controlar o peso corporal, evitar sobrepeso e obesidade
  • Evitar escadas com muitos degraus, esportes de impacto e saltos
  • Manter hidratação e alimentação balanceada
Assine e agende uma consulta

Escolha uma assinatura ideal para você e agende sua consulta agora:

Especialistas mais indicados para o tratamento

Acupunturista

Tire suas dúvidas sobre a Vale Saúde na nossa central de ajuda

Vale Saúde - Logomarca
Vivo - Logomarca

A Vale Saúde é uma assinatura e não um plano de saúde.

*Valores de referência em SP Capital, podem variar dependendo do prestador e região do país, mas o preço exato será informado na solicitação de orçamento e agendamento. Os serviços de saúde são de inteira responsabilidade dos prestadores, sendo a Vale Saúde apenas meio de pagamento e plataforma que conecta o usuário com a rede credenciada. Valores sujeitos a alteração sem aviso prévio.

Copyright © 2022-2023 Vale Saúde. Todos os direitos reservados. CNPJ: 14.336.330/0001-67 | Av. Engenheiro Luis Carlos Berrini, 1.376 - Cidade Moções 04.571-936 – São Paulo/SP – Brasil